Pular navegação

Daily Archives: setembro 28th, 2008


Pela marca que nos deixa a ausência de som
Que a emana das estrelas
Pela falta que nos faz
A nossa própria luz a nos orientar
Doido corpo que se move
É a solidão dos bares que a gente freqüenta
Pela mágica do dia
Que independeria da gente pensar
Não me fale do teu medo
Ah, eu conheço inteira sua fantasia
E é como se fosse pouca
E a nossa alegria não fosse bastar
Quando eu não estiver por perto
Canta aquela música que a gente ria
É tudo o que eu cantaria
E quando eu for embora você cantará

Anúncios

Como eu adoro trabalhar em consultoria e treinamento de empresários, recebendo o convite de escrever para este blog (que eu adoro!) resolvi criar a Dinâmica da Valise.


 
Veja bem, é simples: trata-se de uma dinâmica para lembrarmos daquilo que realmente importa na nossa vida, daquilo que nos faz bem no nosso dia-a-dia.
 
E aí? O que você colocaria na sua valise? Se você pudesse guardar na sua valise todas as coisas boas e significativas do dia, o que você guardaria? Você pode fazê-lo, é só começar.
 
Eu, por exemplo, hoje guardaria na minha valise logo de cara o sonho que tive à noite. Foi um sonho ótimo no qual desfrutei da companhia de pessoas muito queridas (o mais maluco é quando acordei dei-me conta de que havia sonhado e que nenhuma daquelas pessoas eu conhecia na vida real) oras, mas foi bom mesmo assim!
 
O dia começou e começaram a acontecer as coisas importantes, boas, marcantes: uma troca de olhares tão casual quanto marcante, a gentileza das pessoas na rua quando me dão informações, um moço explicando orgulhoso que ele mesmo faz as cocadas que vende para mim (e que eu adoro!), a troca de saberes com os alunos, o respeito, o auto-respeito, o convite para escrever este texto, a troca blogueira (quer coisa melhor que isto?).
 
Então é isso mesmo, podemos guardar as coisas boas que nos acontecem na nossa valise. Não aceitar lixo externo ou interno, ver, enxergar o que vale a pena. Tudo vale a pena quando a alma não é pequena, isto porque quando a alma não é pequena, tudo o quanto vemos é grande, coisas pequenas não nos prendem.

Prof. da USP.

http://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u642.jhtm